Paulo Cabrita

Biografia em atualização

VER TUDOVER MENOS

Pedro Lacerda

Pedro Lacerda Machado filho do Capitão Nuno Lacerda Machado, onde herda a paixão pela arte mágica.
Nascido em Lisboa a 10 de Março de 1960, ocupa cargos directivos na A.P.I.
Em 1975 no 3º Festival Mágico da Figueira da Foz obteve o 5º lugar em magia geral, onde também obteve o prémio revelação.
Já no 4º Festival da Figueira da Foz, foi concedido em ex-aequo o 3º prémio de magia geral.
Pedro Lacerda Machado é uma referencia nacional no panorama mágico, destaca se o seu enorme conhecimento nas diversas aréas, sendo a cartomagia a sua zona de conforto.
Tem sido Jurado nos principais Festivais Mágicos e é um autor de obras literárias e de conferencias,

VER TUDOVER MENOS

Phil Mount

Filipe L.S. Monteiro com o nome artístico de Phil Mount, é licenciado em Química Analítica pela Universidade de Aveiro desde 1988. Nascido a 22 de Janeiro de 1966 na freguesia de Belide, concelho de Condeixa-a-Nova,
esse foi, de facto, o seu primeiro grande momento mágico!
Mas o seu percurso no ilusionismo ainda não estava iniciado. Não obstante ter a tradicional caixinha de magia ali à mão, foi o seu afilhado André quem o "empurrou" para a usar. De tanto insistir para que lhe fizesse uns "truques", acabou por prometer-lhe uma festa de aniversário onde a magia fosse rainha! E esse dia chegou. Começou com a leitura de um livro – "Ilusionismo e Magia", de John Wade – bastante acessível e com os efeitos bem explicados, e que serviu de base para a preparação do primeiro espetáculo!
Experimentando em frente a um espelho, tentou o primeiro efeito – o desaparecimento da moeda (torniquete). Parecendo-lhe que não enganaria ninguém com uma passagem tão elementar, experimentou-a com a esposa (para
variar!). E, surpresa das surpresas: ELA NADA VIU! Estava assim lançada a primeira pedra para algo que não mais perdeu: a vontade de experimentar novos efeitos.
E a festa do afilhado aconteceu. Nesse Julho de 1996 a surpresa foi geral. Ninguém estava a contar com o sucedido. Envergando uma capa, cartola e varinha mágica na mão, apresentou-se a uma plateia variada, entre os 2 e os 65 anos, fazendo surgir a sua partenaire de duas caixas de cartão. A MAGIA ACONTECEU!

Encetou o primeiro contacto com um dealer de artigos de magia (Hortiny – Mãos Mágicas Estúdio, em Coimbra), a quem comprou os primeiros efeitos "profissionais" com que se lançou no meio. Fez-se sócio do CIF (Clube Ilusionistas Fenianos) durante as celebrações do S. João Bosco, em Janeiro de 1997, do CMP (Clube Mágico Português) e do IMS (International Magicians Society), todos nesse mesmo evento, e meses depois também na API (Associação Portuguesa de Ilusionismo).

Comprou várias revistas e artigos da especialidade, fabricou vários dos seus materiais de palco e lançou-se na aventura. Neste âmbito, colabora anualmente com as duas mais antigas atividades no mundo
da magia nacional: o evento MagicValongo que, como o nome indica, acontece todos os Setembros em Valongo (e Ermesinde), Porto; e os Encontros do Grupo Mágico de Sintra, sendo neste caso o nome mais redutor, dado que os encontros vão decorrendo em várias localidades e é integrado por um grupo de pessoas amantes desta arte de todo o país e até oriundos da vizinha Espanha. Participa e
atua também em espetáculos de ilusionismo em vários locais do país.

O seu nome artístico emergiu do seu nome próprio: Filipe Monteiro deu vida a Phil Mount. E, conjuntamente com a sua esposa, Maria José Alves, deram vida a um projeto conjunto de animação e magia - FMJ Magia (de Filipe LS Monteiro). A MAGIA GANHARA MAIS UM INTÉRPRETE!
Mas Filipe LS Monteiro é muito mais que um ilusionista. Tendo exercido durante mais de vinte anos atividade profissional na indústria (onde exerceu várias funções - desde a área de Controlo da Qualidade, a Direção de Produção, o Desenvolvimento de Novos Produtos e Tecnologias e apoio na Certificação da Qualidade e Ambiente da empresa), em finais de 2009 trocou em definitivo esta atividade pelas suas outras paixões: o ilusionismo, a divulgação da ciência e a escrita.
“O Menino que Sonhava Salvar o Mundo”, o seu primeiro livro infantil, foi lançado em Novembro de 2011, conheceu a oitava edição em 2020.
Ainda na senda dos livros infanto-juvenis, apresentou “Mestre Carbono, o Cientista”, em Janeiro de 2015, livro em destaque na revista da Sociedade
Portuguesa de Química na sua edição do primeiro trimestre desse mesmo ano. O livro foi adotado por professores do ensino secundário da Escola Secundária Francisco de Holanda, em Guimarães, que com ele realizaram um trabalho disponibilizando-o através da Areal Editores, e que consistem em testes de avaliação e apoio para exames do 10.º Ano de Física & Química. O livro faz parte, presentemente, do Plano Nacional de Leitura, para os terceiros, quartos, quintos e sextos anos, recomendado para o Apoio a Projetos – Temas Científicos”. Está já
na sua quarta edição. Novembro de 2017 conheceu o seu terceiro livro, “O Brinquedo que estava
Esquecido”, este pela chancela da Sana Editora, e que mereceu críticas muito positivas de todos quantos já com ele contactaram.
No campo da ficção, Filipe LS Monteiro escreveu e lançou um primeiro romance,
“O Segredo dos Candeeiros”, com apresentação pública em Janeiro de 2014, e que adotou o título de “O Segredo da Serra dos Candeeiros” aquando do lançamento da sua segunda edição.
Escreveu ainda um segundo romance, “Os Livros da Droga” (em apreciação para futura edição), tendo já várias ideias para novas obras romanceadas e um livro sobre uma experiência de vida na primeira pessoa. Destes projetos, está em preparação uma coleção de aventuras infantojuvenis – “As Aventuras do Mágico
Phil” (porque será?)… Filipe LS Monteiro tem vindo a fazer a apresentação dos seus livros um pouco por todo o país. Aliando as suas paixões pelo ilusionismo, tem usado essas qualidades para reunir num mesmo momento as duas vertentes. Ao mesmo tempo que apresenta as suas histórias, faz uso da sua “arte da ilusão” para, com alguns truques, cativar ainda mais o público presente.
Paralelamente, e respondendo a algumas solicitações, apresenta, em jeito de tertúlia, em escolas, associações culturais ou eventos, “A Química do Amor”, onde aborda os conhecimentos científicos que explicam esta emoção, com destaque para as substâncias químicas responsáveis pelas diferentes fases do enamoramento… a que não falta a explicação para a tristemente famosa “crise dos sete anos” numa relação. Também aqui são efetuados alguns efeitos de magia.
Por último, e num outro casamento profícuo em que alia a magia à sua formação científica, desenvolveu com a Maria José um novo projeto de divulgação de fenómenos e conceitos científicos, FMJ Mentes Mágicas, onde aqueles são apresentados como verdadeiros efeitos mágicos. Nesta faceta, organizam e realizam Oficinas de Ciência, levando os jovens que as frequentam a aprender ciência com o recurso a efeitos que parecem pura magia. Também coordenam e apresentam um Espetáculo de Ciência e Magia, onde os espectadores se vêem surpreendidos por vários efeitos aparentemente impossíveis, revelando a ciência que lhes está na base. Foi por isso já convidado para participar com o seu espetáculo para a Noite Europeia dos Investigadores (2014 e 2015), mas também o apresentou em diversos Centros de Ciência (Fábrica de Ciência Viva de Aveiro, Centro de Ciência Viva da Floresta de Proença-a-Nova, Centro Integrado de Educação em Ciência de Vila Nova da Barquinha, Estaleiro de Ciência de Ílhavo e outros), mas também em escolas e outras coletividades. A magia ao serviço do
conhecimento!

VER TUDOVER MENOS

Pires de Carvalho (Pirecas)

Fernando José Pires de Carvalho
Porto-24.05.1914
Iniciou-se no ilusionismo com a idade de 42 anos, através da A.P.I. (Academia Portuguesa de Ilusionismo).
Em 1957, lança a ideia da formação do T.I.T. (Tertúlia Ilusionista Tripeira) no Porto.
Em 1959, faz nascer o C.I.F. (Clube de Ilusionistas Fernianos), também no Porto, tornando-se, mais tarde, Presidente Honorário, dirigindo a revista "Magia", publicada por esse clube.
Dirigiu, também, uma página quinzenal do "Diário do Norte", intitulada "Abracadabra", a partir do n.º 31 até ao n.º 123, com algumas interrupções.
Foi sócio da A.P.I./Porto (Academia Portuguesa de Ilusionismo), S.I.J./Lisboa (Secção de Ilusionismo Os Josés) e T.I.T./Porto (Tertúlia Ilusionista Tripeira), Sócio Honorário do C.I.F./Porto (Clube de Ilusionistas Fenianos), A.M.A. (Associación Mágica Aragoneza) e C.I.P. (Clube de Ilusionistas Profesionales), estes dois últimos de Espanha, e Vice-Presidente Honorário do Northern Magic Circle (U.K.)

VER TUDOVER MENOS

Prof. Herrero

Biografia em construção

VER TUDOVER MENOS